Policial

Segunda vítima de atentado morre em Vilhena, mulher assassinada ainda não foi identificada

Polícia Civil deve iniciar investigações no intuito de identificar autoria e motivação do duplo homicídio

O  duplo homicídio seguido de tentativa de homicídio foi registrado na noite desta sexta-feira, 14 de Fevereiro, em um bar localizado na rua Lírio dos Vales, 1.713, no Jardim Primavera, em Vilhena.

Conforme apurado, uma mulher por nome Eliana P. A dos S, 49 anos, estava sentada lado a lado com Sidnei Teles Dias, 35 anos, na área externa do bar ingerindo bebidas alcoólicas, ocasião em que uma mulher por nome Márcia, de alcunha “Marcinha”, que em tese, seria usuária de drogas, chegou ao local sem dizer nada.

Testemunhas contaram para polícia que Marcinha teria se aproximado das vítimas e ali permanecido, momento este, em que um homem a bordo de uma bicicleta se aproximou e efetuou diversos disparos de arma de fogo contra as três vítimas e na sequência aos fatos, evadiu-se do local tomando rumo incerto.

Marcinha acabou alvejada na região lombar, tendo o projétil transfixado e outro disparo atingiu a cabeça da mulher, que acabou morrendo poucos minutos após, antes da chegada do resgate.

A unidade de resgate do Corpo de Bombeiros Militares juntamente com radiopatrulhas de Polícia Militar chegaram ao local, constataram o óbito de Marcinha e verificaram que Sidnei apresentava uma perfuração por arma de fogo na região torácica do lado direito e se encontrava em estado gravíssimo.

De imediato, Sidnei foi encaminhado pela unidade de resgate ao pronto-socorro do Hospital Regional e chegou a receber atendimentos médicos, no entanto, não resistiu e também faleceu.

Eliana apresentava mais de uma perfuração no braço esquerdo e foi encaminhada ao pronto-socorro através de outra unidade de resgate do Corpo de Bombeiros.

A área foi isolada pela Polícia Militar para perícia da Polícia Técnico-Científica (POLITEC) e após os trabalhos periciais, o cadáver de Marcinha foi liberado para uma funerária de plantão.

Ninguém no local soube informar o nome completo e Márcia e informaram que a mesma seria usuária de drogas e que não falava muito sobre sua vida particular, mas que, certa vez disse que seus parentes moram em Cacoal/RO e que tem uma filha de 02 anos.

Até o presente momento, nenhum familiar de Márcia compareceu na funerária ou na Unidade Integrada de Segurança Pública (UNISP) para reconhecer o corpo e realizar os procedimentos para velório e sepultamento.

O Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) da Polícia Civil já iniciou as investigações na intenção de identificar autoria e motivação do duplo homicídio seguido de tentativa de homicídio.

Carlos Mont Serrate/Claudemir Sabino

Fotos: Carlos Mont Serrate/Gabriel Souza

Rota Policial News

Facebook Comentários

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar