Geral

Em Vilhena, mulher de 30 anos dá entrada na UPA se queixando de fortes dores e bebê nasce “no susto” com 26 semanas

Prematura, menininha foi transferida para UTI neonatal na cidade de Ouro Preto do Oeste

Na tarde de sexta-feira, 03, sentindo fortes dores de barriga em casa, a autônoma Luciana Alberta Rosa da Silva, 30 anos, moradora do bairro Jardim América, em Vilhena, pediu que o marido acionasse os Bombeiros para levá-la ao Hospital Regional.

A corporação não pode atender e Luciana acabou acionando um carro de aplicativo. Passando muito mal, ela foi informada na recepção do HR de que precisaria ir até a UPA, onde estão sendo feitos os atendimentos emergenciais na cidade.

As servidoras disseram que ela estaria sentindo as dores devido a uma suposta cólica renal.

Com muita dificuldade, a autônoma deu entrada no pronto-socorro e uma médica (“Doutora Graciele”, fez questão de lembrar a paciente), diante das dores alucinantes que ela estava sofrendo, passou a atendê-la preferencialmente.

Após apertar a barriga de Luciana, a profissional de saúde pediu que o material para exames fosse coletado e solicitou uma ambulância, pois o quadro da mulher recomendava sua transferência para o Regional.

Antes que a ambulância chegasse, a bolsa de Luciana estourou e o bebê que ela não sabia que estava esperando, uma menininha, “nasceu no susto”.

O peso e o cumprimento criança indicaram que Luciana estava gestante de 26 semanas (o normal são de 39 a 40), mas ela garante que não sentiu nenhum dos sintomas característicos da gravidez.
“Minha menstruação estava vindo normalmente”, contou ao site a nova mamãe, que recebeu alta no dia seguinte e já está em casa.

Já a bebê, que ainda nem tem nome, pois os pais não sabiam de sua chegada, foi enviada para a cidade de Ouro Preto do Oeste, que tem uma UTI Neonatal.

Apesar de ter nascido “de 6 meses”, com 1 quilo e 16 gramas, a menininha está estável.

A mãe, que recebeu o presente-surpresa (e antecipado) de natal, espera poder rever a filha em breve.

Ela fez questão de dar os nomes de todos os profissionais que a atenderam: médicos: Eliardo e Graciele; enfermeiras: Camila e Vanessa; técnicos em enfermagem: Andrenilsa, Patrícia e Eliane.

Fonte: Folha do Sul

Google

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao topo

Você não pode copiar o conteúdo desta página

Adblock detectado

Por favor nos ajude a manter o site no ar e desative seu Adblock. Agradecemos pela compreensão! :)