Geral

Luto: morre no HR, filha do Vereador Suchi, grávida de 8 meses após sofrer eclâmpsia

Daniela Suchi passou mal e foi levada ao HR e acabou falecendo. Bebê também faleceu

É com pesar e muita tristeza que o Jornal Rota Policial News informa o falecimento da jovem Daniela Suchi Balbino, de 25 anos, e do bebê que ela esperava, na tarde deste sábado, 22 de Dezembro, em Vilhena.

Daniela era filha do vereador vilhenense Sargento Carlos Suchi (PODEMOS) e estava grávida de 8 meses. Ela que passou mal no final da tarde de sexta-feira e foi levada as pressas ao pronto-socorro do Hospital Regional, onde seu quadro clínico se agravou devido uma eclâmpsia. Já durante a manhã de hoje, foi constatado que o bebê que a jovem esperava estava morto e ela então foi encaminhada para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Vilhena.

Apesar dos esforços da equipe médica, Daniela acabou não resistindo e falecendo nesta tarde. Daniela deixa esposo e um filho de apenas 02 anos de idade. Bebê que Daniela esperava iria nascer em janeiro de 2.019.

A família do vereador ainda não informou onde será realizado o velório da vilhenense. A reportagem acompanha a tragédia.

À família enlutada e amigos, expressamos nossos mais profundos pesares, desejando que Deus em sua infinita bondade, possa confortar neste momento de tristeza.

 

Eclâmpsia

Eclâmpsia é uma condição rara, mas grave, que provoca convulsões durante a gravidez. A eclâmpsia afeta cerca de uma em cada 2 mil a 3 mil gestações, e pode afetar qualquer gestante, mesmo quem não tem um histórico de convulsões.

A eclâmpsia é uma complicação grave da pré-eclâmpsia, que ocorre quando a pressão arterial está elevada (acima de 140/90 mmHg) a qualquer momento após a sua 20ª semana de gravidez, com desaparecimento até 12 semanas pós-parto. Além da pressão arterial elevada, outras complicações como excesso de proteína na urina ou insuficiência hepática devem acontecer para se ter o diagnóstico de pré-eclâmpsia.

Se a pré-eclâmpsia se agrava e afeta o cérebro, causando convulsões ou coma, você desenvolveu eclâmpsia. A causa exata da pré-eclâmpsia é desconhecida.

Acredita-se que a pré-eclâmpsia começa na placenta – o órgão que nutre o feto durante a gravidez. No início da gestação, novos vasos sanguíneos se desenvolvem e evoluem para enviar eficientemente o sangue para a placenta. Em mulheres com pré-eclâmpsia, estes vasos sanguíneos não parecem desenvolver-se adequadamente. Eles são mais estreitos do que os vasos sanguíneos normais e reagem de forma diferente à sinalização hormonal, o que limita a quantidade de sangue que pode fluir através delas.

 

Carlos Mont Serrate/Claudemir Sabino

Rota Policial News

 

Facebook Comentários

Artigos Relacionados

Fechar