Policial

Agentes penitenciários evitam a morte de detendo que foi ameaçado de morte no presídio Cone Sul

Detento pediu para sair de facção criminosa, foi ameaçado e espancado durante tentativa de assassinato

A tentativa de homicídio foi registrada na noite desta segunda-feira, 29 de Outubro, nas dependências do presídio de segurança máxima Cone Sul, localizado na área rural de Vilhena.

De acordo com as informações, o presidiário Lucas Maia de Souza, de 22 anos, fazia parte da facção criminosa denominada Comando Vermelho (CV) e que pediu para sair da mesma, não mais sendo integrante do grupo criminoso e que devido a isto, acabou sendo ameaçado de morte por outros detentos da cadeia.

A vítima estava na cela 11, porém, como a cela está isolada por conta da última fuga registrada no complexo prisional, foi transferido para a cela  “13 A”. No entanto, no último dia 28 de Outubro, Lucas recebeu um bilhete do apenado Marcio Rodrigues Estigarribia, vulgo “Pequeno”; sendo que tal bilhete decratava sua morte.

Ao perceber que os presidiários desta cela passaram a amolar os chuchos, ele saiu da cela e ficou no corredor; ocasião em que os agentes penitenciários foram até ele e este, revelou os fatos, sendo então, transferido para o pavilhão C, realocado na cela “C 1”, junto aos apenados Ezequiel Costa da Silva e Claudeci de Oliveira Medeiros, os dois que haviam fugido na última fuga e foram recapturados pela PM.

Após isto, na noite desta segunda-feira, os presidiários da cela 15, identificados como Clebson Santos Vieira, Paulo Sérgio dos Santos Pego e Teo Sanderson Rodrigues começaram a gritar para que os apenados da cela C 1 matassem Lucas.

Neste momento, Ezequiel e Claudeci partiram para cima da vítima e passaram a espancá-lo com socos e chutes contra sua face, tentando executá-lo a partir de agressões físicas. Rapidamente, ouvindo os gritos de socorro, os agentes penitenciários adentraram a cela e evitaram a morte de Lucas.

O presidiário foi socorrido e encaminhado ao pronto-socorro do Hospital Regional de Vilhena, onde passou por procedimentos médicos e foi liberado. Ele que foi encaminhado para Unidade Integrada de Segurança Pública (UNISP) onde passou por exames de corpo de delito, comprovando-se que o mesmo não apresentava lesões sérias. Lucas afirma ter interesse em representar criminalmente contra os detentos mencionados na matéria e afirmou aos policiais temer por sua vida.

O Ministério Público de Rondônia receberá denúncia nas próximas horas e deverá tomar medidas quanto ao caso. Lucas foi colocado em uma cela sozinho.

Segundo detento acusado de tentar matar a vítima
Detento que tentou matar a vítima

Carlos Mont Serrate / Claudemir Sabino

Rota Policial News

Facebook Comentários

Artigos Relacionados

Close