Geral

Suspeito de envolvimento em assassinato por vingança em Chupinguaia é absolvido em Vilhena

Dois dos acusados pelos crimes já foram julgados e condenados

Depois de uma semana de intervalo, foram retomados hoje os julgamentos da terceira reunião do Tribunal do Júri de 2019 da Comarca de Vilhena.

Nesta segunda-feira, 07, no Fórum Desembargador Leal Fagundes, em Vilhena, os jurados analisaram a conduta do réu Rosalino Vilhagra Gonçalves, acusado de participação no assassinato de Josimar da Silva Rodrigues de Sá. O crime aconteceu no dia 04 de janeiro de 2018, em Chupinguaia.

No entanto, a história começa três dias antes. De acordo com os autos, no dia 1º de janeiro de 2018, o jovem Henrique da Cruz dos Santos interferiu em um briga de casal que gerou represálias que causaram sua morte.

As investigações apontaram que Érica Regiane da Silva foi quem matou Henrique da Cruz com golpes de um objeto que não foi identificado. Ela foi julgada em maio deste ano e condenada a 7 anos de prisão (lembre aqui).

Três dias depois do assassinato de Henrique da Cruz, no dia 04 de janeiro, Josimar da Silva Rodrigues de Sá foi morto.
As investigações chegaram até Emerson Conceição de Souza e Rosalino Vilhagra Gonçalves. Ocorre que Emerson é padrasto de Henrique da Cruz, e segundo as investigações, ele estaria convicto de que um rapaz de nome Lucas, teria matado seu enteado.

Então eles foram até a casa onde supostamente Lucas morava. Lá, encontraram Josimar, que se recusou a revelar o paradeiro de Lucas. Revoltado, Emerson teria atirado peito do rapaz, que não resistiu.

Emerson foi julgado em Junho deste ano e condenado a 14 anos de prisão (confira aqui).

Hoje Rosalino teve a sua conduta analisada pelos jurados, mas o seu destino foi diferente do de Emerson.

O Ministério Público, representado pelo Promotor de Justiça Elício de Almeida e Silva, entendeu não haver provas suficientes que demonstrassem a participação de Rosalino no assassinato e pediu a absolvição do réu por negativa de autoria.
Pedido que foi seguido pelo defensor público Matheus Lichy e acatado pelos jurados. Assim Rosalino Vilagra Gonçalves foi absolvido das acusações.

Fonte: Folha do Sul Online

Facebook Comentários

Artigos Relacionados

Fechar