Geral

Roberta Rossi explica como funciona o DPVAT, um seguro obrigatório e necessário

Roberta Rossi detalha procedimentos

O Seguro DPVAT (Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) é uma obrigação criada por lei em 1974 e traz benefícios para os motoristas que trafegam por todo o território nacional. Com ele, as vítimas de acidentes de trânsito (apenas para carros e motos) têm uma cobertura especial que possibilita indenização em caso de morte ou invalidez permanente ou mesmo um reembolso em caso de despesas médicas comprovadas.

Entender como funciona o seguro é fundamental para exigir esse direito. Motoristas, passageiros ou pedestres podem receber R$ 13.500,00 caso aconteça morte (metade vai para o cônjuge e o restante para os herdeiros) ou invalidez em um desastre nas vias públicas. Quando não há morte, o seguro garante um reembolso de até R$ 2.700,00, ainda que os responsáveis pelos acidentes não arquem com a sua responsabilidade.

A lei determina que o DPVAT seja pago todos os anos, juntamente com a cota única ou primeira parcela do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). O valor médio gira em torno de R$ 100.

Em entrevista ao Jornal Rota Policial News, Roberta Rossi, que tem seu escritório credenciado, localizado na avenida Tancredo Neves, no bairro Jardim Eldorado, próximo da BR-174, explica que o procedimento para receber a indenização do DPVAT é simples.

Os pedidos de indenização do DPVAT podem ser feitos através de quaisquer seguradoras consorciadas, como no escritório Roberta Rossi Consultoria & Assessoria. Basta que o interessado vá até o escritório da Roberta e apresente a documentação necessária. Em caso de dúvida, o beneficiário pode ligar para o escritório de Roberta, no número (69) 98494-1934.

O prazo para liberação do pagamento é de 30 dias, nos casos em que a documentação apresentada se encontra completa e regular. Havendo pendências na documentação, o prazo é suspenso e reiniciado a partir da data em que as mesmas forem solucionadas.

“Todo proprietário de veículo deve manter o seguro obrigatório em dia. Caso fique inadimplente, o veículo não é considerado devidamente licenciado para efeitos de fiscalização e o proprietário estará sujeito às penalidades previstas na legislação. Além disso, a lei anuncia que “as pessoas que deixarem de contratar os seguros legalmente obrigatórios, sem prejuízo de outras sanções legais, será aplicada multa de o dobro do valor do prêmio”, conforme o Art. 112 do Decreto de Lei nº 73/66, com redação dada pela Lei Complementar 126/07,” acrescentou.

A atual responsável pela administração do Seguro DPVAT é a Seguradora Líder-DPVAT, que tem o objetivo de assegurar à população, em todo o território nacional, o acesso aos benefícios do Seguro DPVAT.

Os recursos do Seguro DPVAT são financiados pelos proprietários de veículos, por meio de pagamento anual. Do total arrecadado, 45% são repassados ao Ministério da Saúde (SUS), para custeio do atendimento médico-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsito em todo país. 5% são repassados ao Ministério das Cidades (DENATRAN), para aplicação exclusiva em programas destinados à prevenção de acidentes de trânsito. Os demais 50% são voltados para o pagamento das indenizações e reservas.

Faça sua consulta no escritório Roberta Rossi Consultoria & Assessoria, que fica localizado na avenida Tancredo Neves, número 4725-B, bairro Jardim Eldorado, mesma quadra que dá acesso à BR-174, em Vilhena, ou ligue para (69) 98494-1934 onde você será orientado pela própria Roberta, ou (69) 98495-8216.

O escritório Roberta Rossi Consultoria & Assessoria é uma indicação de Rota Policial News.

 

Carlos Mont Serrate

Rota Policial News

Facebook Comentários

Artigos Relacionados

Fechar