Policial

Ibama multa Vale em R$ 250 milhões por tragédia em Brumadinho

Penalidade leva em conta os danos ao meio ambiente decorrentes do rompimento da barragem de responsabilidade da mineradora

O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) multou a mineradora Vale em R$ 250 milhões pelo rompimento da barragem em Brumadinho (MG). O instituto classifica o acontecimento desta sexta-feira (25) como uma “catástrofe socioambiental”.

De acordo com o Ibama, a multa leva em conta os danos ao meio ambiente decorrentes do rompimento de barragens da mina Córrego do Feijão.

Até o momento, a tragédia resultou em cinco autos de infração no valor de R$ 50 milhões cada. De acordo com o Ibama, trata-se do valor “máximo previsto na Lei de Crimes Ambientais”.

No final da noite de ontem, a Justiça de Minas Gerais já havia determinado o bloqueio de R$ 1 bilhão das contas bancárias da Vale. Os recursos devem ser utilizados no atendimento das vítimas, pessoas e animais, municípios e meio ambiente atingidos pelos rejeitos da barragem.

O Ibama afirma ainda que enviou equipes da coordenação de Emergências Ambientais imediatamente para Brumadinho após o primeiro alerta de rompimento da barragem.

Os agentes do órgão monitoram o avanço dos rejeitos, avaliam os danos ambientais e atuam na busca por desaparecidos e no resgate de pessoas e animais que ficaram isolados em razão do desastre. O ministro do Meio Ambiente e o presidente do Ibama participam de vistorias na região neste sábado (26).

Rompimento de barragem em Brumadinho já deixou 40 mortos

Governo do Estado de Minas confirma que 366 vítimas que trabalhavam na barragem foram resgatadas pelo Corpo de Bombeiros com vida até a noite deste sábado, 26 de Janeiro.

O número de mortes ocasionadas pelo rompimento de uma barragem da mineradora Vale na cidade de Brumadinho nesta sexta-feira (25) subiu para 40, segundo informações do Governo do Estado de Minas Gerais.

De acordo com as autoridades, apenas oito dos corpos já foram identificados. As informações foram confirmadas pela reportagem.

O governo mineiro também confirmou que 366 vítimas que trabalhavam na barragem foram resgatadas com vida até a noite deste sábado (26). Desses, 221 eram funcionários contratados pela Vale e outros 145 atuavam como terceirizados para a mineradora.

Há ainda 296 pessoas desaparecidas no local e 23 hospitalizados em decorrência da tragédia.

O Corpo de Bombeiros afirma que as buscas por corpos e sobreviventes foram interrompidas às 20h e serão retomadas na madrugada deste domingo (27).

Ainda segundo as Forças Integradas, teve um alarme falso de rompimento de outra barragem. Além disso, a arrecadação de donativos foi interrompida por falta de espaço para armazenamento, devido ao grande volume de doações.

As equipes de busca contaram com 13 aeronaves: 5 do Corpo de Bombeiros de MG, 4 da Polícia Militar de MG, 2 da Polícia Civil de MG, 1 da FAB e 1 do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro. Além disso, os Bombeiros de São Paulo irão ajudar no trabalho. O acesso a Brumadinho pela rodovia BR-040 está bloqueado.

Antes de anunciar o resgate de novos sobreviventes, os bombeiros haviam informado na manhã deste sábado que os desaparecidos estimados estavam distribuídos da seguinte maneira:

  • Entre 100 e 150 pessoas na área administrativa que ficava nas proximidades da barragem que rompeu;
  • Aproximadamente 30 pessoas na região da Vila Vértico;
  • Aproximadamente 35 pessoas na pousada Nova Estância;
  • De 100 a 140 pessoas na região do Parque das Cachoeiras.

Fonte: R7 Notícias

 

Facebook Comentários
Google

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar