Policial

Em Vilhena, PM apreende 17 quilos de maconha e armas de fogo após abordagem

Entorpecente teria sido trazido de ônibus do Paraguai para Vilhena

Na noite de ontem, uma guarnição da Polícia Militar fazia patrulhamento de rotina no bairro Marcos Freire, em Vilhena, quando percebeu três suspeitos parados em frente uma residência. Quando um deles foi visto entregando alguma coisa a um motoboy, os militares decidiram fazer a abordagem.

O dono da residência entrou correndo ao notar a viatura, mas foi impedido pelos policiais de trancar o portão. Dentro da casa foram encontradas oito pessoas, sendo cinco menores de idade. Também havia um bebê de um ano, descalço, sujo e assustado, assistindo o grupo consumir drogas.

Quando a guarnição vistoriava a residência, o dono arremessou o próprio celular no chão e destruiu tela do aparelho.

Apurou-se depois que o equipamento era usado para vender drogas pelo sistema delivery e também para acionar o motoboy que fazia as entregas.

Dentro do quarto, foi encontrado um rapaz ajeitando uma grande quantidade de maconha em uma mala de viagem. Após a pesagem da maconha, a polícia comprovou que o carregamento, aparentemente trazido de ônibus do Paraguai, somava 17,450 kg.

Ainda no quarto havia duas máquinas de cartão e 07 (sete) de álcool, que segundo informado por um dos suspeitos, estavam sendo usados para manipular a maconha e transformá-la em haxixe, além de quatro balanças de precisão, sendo este material apresentado na UNISP.

Além disso, duas armas de fogo foram localizadas e apreendidas, sendo as duas de calibre .38 e diversas munições, quatro balanças de precisões e apetrechos para o comércio de drogas.

Ao justificar a grande quantidade de aparelhos eletrônicos encontrados na casa, a esposa do rapaz que aparentava ser o chefe do tráfico alegou que ele pretendia deixar a atividade ilegal e abrir uma loja que venderia aquele tipo de equipamento.

Ao apresentar na UNISP todos os envolvidos na ocorrência e o material apreendido (incluindo dois revólveres, ambos sem registro e com numeração raspada, além de munições), a guarnição acionou o Conselho Tutelar para acompanhar o caso, já que havia adolescentes e até um bebê implicados.

Fonte: Folha do Sul Online

Fotos: Rota Policial News

Google

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao topo

Você não pode copiar o conteúdo desta página

Adblock detectado

Por favor nos ajude a manter o site no ar e desative seu Adblock. Agradecemos pela compreensão! :)