Policial

Quatro servidores da Sedam são presos em ação policial contra crimes ambientais em Rondônia

Mandados foram cumpridos na manhã desta segunda-feira (5). Segundo a Polícia Civil, os servidores faziam parte ou chefiavam uma organização criminosa.

Quatro servidores da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) foram presos durante a operação “Pau Oco”, desencadeada nas primeiras horas desta segunda-feira (5) pela Polícia Civil de Rondônia.

Houve, ainda, o cumprimento de 15 mandados de busca e apreensão e 10 de afastamentos de função pública. Segundo a polícia, os funcionários estariam envolvidos em uma organização que cometia crimes contra a administração ambiental.

A operação foi realizada pela Delegacia de Repressão as Ações Criminosa Organizadas de Cacoal (Draco/Interior), em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco/RO) e o Ministério Público de Rondônia (MP/RO).

Essa é a primeira etapa dos trabalhos de investigação que vêm sendo realizados pela Draco e apura o envolvimento de servidores comissionados da Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam).

Conforme a diretora da Polícia Civil, Valquíria Boaventura, as investigações começaram há pouco mais de quatro meses, visando apurar um esquema de extração ilegal de madeiras, sem qualquer verificação prévia em áreas florestais de jurisdição estadual. Os locais de origem da retirada da madeira ainda estão sendo mapeados pelas equipes.

Segundo a Polícia Civil, os servidores faziam parte ou chefiavam uma organização criminosa e são suspeitos de lavagem de capitais, crimes contra a administração ambiental e falsidade ideológica. As ações da organização envolviam lançamentos de informações falsas em documentos e sistemas públicos, bem como tomadas de decisões administrativas que iam contra a legislação.

O conhecimento sobre as fraudes aconteceu após a Polícia Civil realizar operações em reservas estaduais, no Vale do Jamari, em 2017. Na região, os policiais identificaram e entenderam as formas de ilegalidades na concessão de licença.

Durante a ação, os agentes recolheram documentos e o possível cronograma seguido pela organização criminosa. Nas buscas também foram apreendidos mais de R$ 100 mil em espécie.

“Temos um decreto de segredo de Justiça, até porque essa investigação tende a ampliar muito. Tem muitas outras pessoas que vão aparecer a partir de agora, então não podemos dar muitos detalhes para não comprometer as investigações”, ressaltou o delegado Júlio César Ferreira.

O próximo passo, agora, segundo o delegado, é ampliar os nomes dos envolvidos e analisar os documentos apreendidos. No total foram cumpridos quatro de seis mandados de prisão, 10 de afastamento da função pública e outros 15 de busca e apreensão.

As buscas da operação onde estão sendo cumpridas as ordens judiciais ocorreram no prédio sede da Sedam, que fica no Centro Político Administrativo de Rondônia (CPA). Segundo a Polícia Civil, duas prisões em flagrante já foram realizadas por porte ilegal de arma de fogo. Os servidores detidos na ação policial foram levados à Secretaria de Justiça (Sejus), onde aguardam decisão judicial.

Fonte: G1 Rondônia

Facebook Comentários

Artigos Relacionados

Close