Policial

Operação Integrada autuou 04 comércios por descumprimento de decreto do Covid-19 em Vilhena

Após denúncias, MP desencadeou operação que mobilizou Polícia, Bombeiro, Vigilância Sanitária e Conselho Tutelar

 

O Ministério Público de Rondônia, após receber denúncias sobre aglomerações e ao descumprimento de itens do decreto de prevenção ao Covid-19 decretado pela Prefeitura de Vilhena, Decreto nº 49.048, determinou uma operação conjunta e integrada da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Conselho Tutelar e Vigilância Sanitária.

A operação foi realizada na noite desta sexta-feira, 08 de Janeiro, onde o primeiro local autuado e visitado foi em um bar localizado na avenida Major Amarante, no Centro da cidade, onde houve uma promoção de Chopp por nome “Pega o Chopp e Tchal!” que acabou aglomerando várias pessoas, que descumpriram as regras da própria promoção e consequentemente, a do decreto de prevenção ao COVID-19.

 

A promoção que teve início às 17 horas e encerraria as 22 horas, que segundo o proprietário foi realizada para minimizar os prejuízos causados pelo novo decreto municipal que proíbe o consumo de bebidas em bares e lanchonetes, acabou gerando ainda mais aglomeração do que o fluxo normal de clientes que o estabelecimento costuma atender, mas, segundo o comerciante, foi encerrada por volta das 20 horas, quando eles perceberam que houve aglomeração que iria fugir do controle.

A Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e Conselho Tutelar estiveram no local, onde, ainda havia pessoas e realizaram as devidas notificações e interdições da empresa, emitindo o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

 

Protesto de Cantores também motivou aglomerações

Vale lembrar, que tal aglomeração não se deve apenas ao fato da promoção, mas também, ao fato de um protesto realizado nesta tarde pelos cantores da cidade quase em frente ao local, reunindo vários destes, os quais ali permaneceram até as primeiras horas da promoção.

O protesto era justamente ao fato de estarem impedidos de atuar e realizar seus trabalhos na cidade devido ao decreto que proibe as apresentações neste sentido, com a finalidade de minimizar os impactos do Coronavírus.

 

Aliado a isto, várias pessoas foram ao local devido a promoção do copo de choop e não respeitaram as determinações da própria promoção, divulgada nas redes sociais, que proibia a aglomeração de pessoas em frente ao comércio, lembrando que, em seu interior não houve o acesso dos clientes.

“O desrespeito da própria população prejudicou o comerciante. Ao invés de comprarem e irem embora, se aglomeraram em frente ao local até que a promoção se encerrou antes, às 20 horas, e mesmo assim, estes populares ficaram ali em frente quando a polícia chegou,” disse um morador.

 

A operação continuou na cidade:

Em continuidade a operação, as equipes se dirigiram aos comércios da cidade, onde haviam aglomerações e desrespeito as normas do decreto de prevenção ao Coronavírus.

Vários comércios foram averiguados e vistoriados pela PM, BM e Vigilância Sanitária, sendo que além do bar no Centro, outros três comércios acabaram interditados pela Vigilância.

 

O segundo lugar a ser interditado pela Força Tarefa foi uma lanchonete localizada na avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, no bairro Jardim Eldorado, onde haviam pessoas sentadas nas mesas e usando bebidas alcoólicas no local, o que está proibido com base no vigente decreto da prefeitura.

Com isso, o proprietário foi autuado e o local acabou lacrado pela Vigilância Sanitária que o interditou, sendo também, realizado o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por parte da Polícia Militar, sendo marcado o dia para que o proprietário se apresente no Ministério Público para prestar esclarecimentos.

 

Na sequencia, um bar localizado na rua Augusto Nicolielo, no bairro Bodanese também acabou interditado devido ao mesmo motivo: pessoas foram flagradas sentadas em cadeiras e fazendo o uso de bebidas alcoólicas no local, o que infringe o atual decreto, ora mencionado.

O proprietário do local foi autuado pela Vigilância Sanitária e assinou o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) comprometendo-se a comparecer ao MP para prestar esclarecimentos.

 

O quarto local a ser interditado pela Vigilância Sanitária foi uma lanchonete localizada na avenida Curitiba, no bairro Jardim Primavera, onde foram flagrados clientes comendo lanches e fazendo o uso de bebidas alcoólicas, no local, desobedecendo o decreto neste ponto e ao ponto que se refere ao horário de atendimento aos clientes, uma vez que já eram 23h30.

A proprietária do comércio assinou ao Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) comprometendo-se a comparecer ao MP para prestar esclarecimentos e também teve o comércio interditado pela Vigilância Sanitária.

Além destes comércios mencionados, diversos outros bares, lanchonetes e restaurantes foram averiguados pela Operação Integrada, mas não sofreram sansões judiciais ou interdições, por não terem desobedecido as regras vigentes no decreto de prevenção ao Coronavírus, por parte da Prefeitura Municipal de Vilhena.

 O outro lado…

O proprietário do bar da avenida Major Amarante relatou que de fato realizou a promoção, contudo, o próprio nome da promoção já estabelecia como normas que os clientes comprassem o chopp e fossem embora, para não haver aglomeração.

 

Contudo, o empresário alega que os clientes se aglomeraram nas calçadas próximas e nos canteiros centrais da localidade e foi diante disto, quando o comerciante viu que não iria ter como evitar a aglomeração, que este decidiu encerrar a promoção por volta das 20 horas e dispensou seus funcionários.

Mas mesmo assim, após irem embora, os clientes e populares continuaram em frente ao comércio, momento em que a polícia e os demais integrantes da operação chegaram ao local.

 

“Nós encerramos a promoção bem antes devido ao fato de vermos que muitos não seguiram as regras da mesma. Ficamos sabendo pelas redes sociais que a polícia havia ido lá e realizado a operação. Nós avisamos os clientes que não era para ficarem ali, mas não podemos obrigá-los a se desperçarem. Precisamos trabalhar, os funcionários e nós todos temos contas para pagar, nós seguimos os protocólogos, mas a população se aglomerou,” disse.

As operações devem continuar, uma vez que a cidade está na eminência de ter um novo decreto, que poderá fechar todo o comércio devido ao número elevado de casos. Ainda nesta sexta-feira, a prefeitura anunciou que os leitos clínicos e de UTI já estão quase todos ocupados, faltando poucas internações para a saúde colapsar.

Cabe a sociedade, neste momento de enfrentamento a nova onda do Covid-19 seguir as orientações impostas pelos decretos, utilizar máscaras, álcool em gel e evitar aglomerações. Somente desta forma, Vilhena poderá ter seu quadro estabilizado e não precisará fechar o comércio e prejudicar a economia.

 

Tony Rota/ Claudemir Sabino

Rota Policial News

Facebook Comentários

Google

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor nos ajude a manter o site no ar e desative seu Adblock. Agradecemos pela compreensão! :)