Policial

Família encontra garoto que havia desaparecido em Vilhena

Garoto foi encontrado por orientadora, que leu texto anterior

Minutos após ser noticiado o sumiço do estudante Victor Gabriel Cortez Espíndula, de 09 anos, o celular do editor do jornal Folha do Sul Online, Dimas Ferreira, tocou: era um leitor do site avisando que o garoto havia sido encontrado e estava na escola Noeme Barros, no bairro Bodanese, em Vilhena.

O jornalista ligou para a mãe, com quem havia conversado para pegar informações, e deu a boa notícia. Na sequência, o próprio comunicador foi ao colégio da rede municipal, a fim de registrar o reencontro entre Victor e seus pais.

O menino disse que havia saído para abrir o portão de sua casa, pois achava que a van que o levaria à escola estava chegando.

Neste momento, segundo relatou aos pais, um homem “grande” tapou sua boca e o arrastou para longe.

O site conversou com a orientadora da escola Noeme Barros, Euzenir Expedita Teixeira de Araújo, 41, e ela contou que havia voltado para casa, após uma consulta médica, e estava indo para o colégio, quando viu o menino desaparecido andando pela avenida 710, do bairro Bodanese.

Tendo lido o texto anterior, mostrado a ela, no celular, por colegas, a educadora reconheceu Victor e pediu que ele parasse. O menino, no entanto, seguiu na caminhada, e só parou quando Euzenir ameaçou ligar para a polícia.

Em seu carro, a orientadora resgatou o menor, que deverá passar por exames e receber atendimento psicológico. A polícia também será informada. Embora não apresente sinais de violência física, ele parecia assustado.

Fonte: Folha do Sul

 

Facebook Comentários

Artigos Relacionados

Fechar