Política

Caiu! Secretário de Educação deixa pasta em Vilhena e dois professores são cotados para o cargo

Suposta falta de arroz na merenda escolar derrubou cargo de secretário. Porém, ele deixou carta afirmando ter sido decisão própria deixar a pasta

Após uma conversa com o prefeito Eduardo Japonês (PV), na manhã desta terça-feira, 09 de Abril, o secretário municipal de Educação de Vilhena, Clésio Cássio Almeida Costa, apresentou sua carta de exoneração, e decidiu se afastar do cargo.

Na semana passada, em notinha publicada na coluna “Umas e Outras”, do jornal FOLHA DO SUL, jornalistas antecipavam a queda do titular da Semed: “TÁ BAMBO? – Ele manja da Pasta que comanda e é querido pelos servidores, mas parece que isso não basta: fontes da coluna garantem que, por conspiração de aliados do prefeito Eduardo Japonês, o secretário de Educação de Vilhena, Clésio Costa, está na marca do pênalti. Quem aponta falta de traquejo político do jovem educador diz que a queda é só uma questão de tempo. Em breve saberemos…”

De acordo com uma fonte daquele site, a falta de habilidade política de Clésio, aliada a problemas no orçamento da Semed, levaram à decisão do prefeito de pedir que ele deixe a função. A gota d’água para a dispensa teria sido a falta de arroz na merenda escolar, registrada nesta semana.

Secretário diz em um trecho de sua carta:
“Como professor há 18 anos e também exercendo minha função enquanto secretário municipal de Educação, sempre pautei minhas decisões acreditando fazer o melhor para nossa classe e nossos alunos”.
Eduardo Japonês recebeu carta e aceitou pedido:

Eduardo Japonês recebeu a carta, aceitando o pedido do secretário de cuidar de assuntos particulares e parabenizou o gestor pelo trabalho nos mais de 11 meses que esteve à frente da Semed. Para o prefeito, é preciso destacar que, enquanto secretário, Clésio deixou importantes conquistas para a valorização dos servidores e a estruturação da rede municipal.

“Foi dele o projeto de lei que passou a conceder aos professores, supervisores escolares e orientadores educacionais que atuam em sala de aula uma gratificação de 25% sobre o salário base da categoria. Também foi responsabilidade do secretário a criação do Programa de Apoio Financeiro às Escolas Municipais de Vilhena (Pafemv), que agora permite a transferência direta às escolas de uma parte do dinheiro destinado à Manutenção e Desenvolvimento da Educação”, lembrou Japonês.

QUEM ENTRA?
Dois nomes são cotados para substituir Costa na Educação: a professora Vivian Repessold, que foi candidata a vereadora pelo PSDB e o também professor Gilson Carlos Ferreira, que exerceu mandato na Câmara de Vilhena nos anos 1990. No momento, Vivian é a mais cotada.

Fonte: Folha do Sul – Rota Policial News

Facebook Comentários

Artigos Relacionados

Fechar