Policial

Avião desaparecido com vilhenense a bordo já foi confiscado pela PF no ano passado

Buscas continuam sendo feitas por aviões na FAB. Polícia acredita que avião esteja novamente sendo usado para o tráfico de drogas

O  jornal apurou que o avião desaparecido desde a última sexta-feira, 30, no Mato Grosso, foi apreendido no ano passado, no aeroporto de Pimenta Bueno. Dois pilotos, sendo um deles o vilhenense Marcelo Balstrin, estavam a bordo.

A suspeita é de que a aeronave era usada no tráfico de drogas. O dono do aparelho, registrado na Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) foi preso em outra cidade. A suspeita é de que ele seja o proprietário apenas “no papel”.

O avião, modelo Cessna, foi entregue ao gerente da empresa Cairu, com sede em Pimenta, que ficou na condição de fiel depositário. O repasse da posse do equipamento se deve ao fato de a Polícia Federal, que fez a apreensão, não dispor de hangar para guardá-lo. Assim, o fiel depositário se responsabilizaria pela manutenção, evitando que o bem confiscado fosse sucateado pelo tempo.

BUSCAS
O site, que vem acompanhando as buscas pelos dois pilotos que estavam a bordo do avião, foi informado de que o trabalho continua. Aviões e helicópteros da Força Aérea Brasileira (FAB) sobrevoam a área onde o Cessna pode ter caído.

Duas informações passadas às famílias dos dois pilotos trouxeram ânimo na manhã desta terça-feira, 04: não há sinais de fumaça e nem urubus no trecho percorrido até agora.

Significa que o avião não explodiu e que não existem mortos no local vistoriado.

Fonte: Folha do Sul Online

Facebook Comentários
Google

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar