Policial

Acusados de participarem de chacina em Cabixi são julgados em Colorado do Oeste

Júri popular tem previsão de terminar na quinta-feira (6). Outros dois suspeitos investigados pela polícia não se tornaram réus.

Desde as 8h, dois dos quatro acusados de participarem de uma chacina em Cabixi (RO) são julgados nesta quarta-feira (5) no Fórum do Colorado do Oeste (RO), município a pouco mais de 760 quilômetros de Porto Velho. Os réus Yuri Felipe de Lima e José Lismar Moura já foram interrogados. O júri também ouviu testemunhas do crime. A sessão continuará na quinta-feira (6).

Durante a tarde, o julgamento seguiu para a fase de debate entre defesa e acusação. Cinco jovens, entre 17 e 24 anos, foram mortos em abril de 2017 em uma festa.

Os outros dois suspeitos que estavam no inquérito policial do caso não viraram réus. Um deles chegou a ser preso em agosto do ano passado também por envolvimento no roubo dos veículos em um condomínio. Ele teria roubado três caminhonetes.

Segundo o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO), o Ministério Público não ofereceu denúncia contra eles por falta de provas consistentes que pudessem incriminá-los. A previsão do TJ-RO é de que o júri popular dos réus se estenda até quinta-feira (6), quando as sentenças devem ser divulgadas.

Relembre o caso

Cinco jovens foram assassinados a tiros durante uma festa particular na noite de 2 de abril de 2017 na cidade de Cabixi (RO), a cerca de 800 quilômetros de Porto Velho.

Conforme a Polícia Militar (PM), o crime ocorreu depois que quatro suspeitos armados chegaram ao local, mandaram os convidados deitarem de bruços no chão e executaram cinco deles com tiros na cabeça.

Segundo informações da PM, a festa acontecia na casa de um adolescente de 17 anos. Ele e outros seis amigos estavam reunidos fazendo um churrasco, quando quatro criminosos usando capacetes invadiram o imóvel e atiraram contra o morador da casa e mais quatro convidados.

Ainda conforme a PM, os criminosos pouparam a vida de uma menina de 17 anos e um rapaz de 13. Após os suspeitos deixarem o local, os sobreviventes saíram correndo pelas ruas e pediram ajuda de moradores.

A polícia foi acionada logo depois e encontrou as cinco vítimas já sem sinais vitais, deitadas de bruços no chão, com perfurações na cabeça. A área foi isolada para o trabalho da perícia criminal, que apreendeu quatro projéteis, quatro estojos e um cigarro aparentando ser maconha.

Fonte: G1

Facebook Comentários

Artigos Relacionados

Close